[FP] Blaszczykowski, Wes.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Blaszczykowski, Wes.

Mensagem por Wes Blaszczykowski em Sex Jan 02, 2015 11:05 am


Wes Blaszczykowski
[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]

DADOS BÁSICOS

• IDADE DO PERSONAGEM: 17 anos;

• APELIDOS: W?

• ANIVERSÁRIO: 04 de janeiro;

• ORIENTAÇÃO SEXUAL: Homossexual;

• LOCAL DE NASCIMENTO: São Francisco ─ Califórnia, Estados Unidos;

• GRUPO: Sadomasoquistas e Ninfomaníacos;

• PHOTOPLAYER: Zac Efron.



PERSONALIDADE

Surpreendentemente belo, expõe um lado explosivo que poucos tiverem o desprazer de conhecer. Aos mesmo, somente restar desejar "meus sentimentos" às família. Não há quem conte. Quem sabe não fora justamente por isso o escolhido a se tornar o ser de hoje? A divisão de um psicológico moldada contra sua aparência delicada e jovial, traz consigo o mesmo garoto de íris azuis eletrizantes, turbulento, mas ainda sim, tão incitante quanto o próprio desejo contínuo pela carne. Onde essas tais formadoras de inconstante e fria pessoa, tem a presença de não somente a personificação da desordem que és, como também um lado inquietante que busca saber ser, em algum momento amável o bastante com aqueles que lhe cativam.

Não encara e jamais pensou em encarar a vida como uma inimiga. Está realmente diante de fatos que podem se tornar perturbadores para muitos, mas ainda que viera a se tornar mais intenso que o comum, consegue distinguir bem que nem sempre todos são iguais, que sempre haverá aquele que se opõem ao bom ou mau. Basta agora, é escolher seu lado.





POST INTERPRETÁTIVO


Havia passado o dia todo andando de um lado para o outro do apartamento sem parar um minuto se quer para não ceder ao árduo desejo de deitar-se novamente. Era bem provável que a maior parte das pessoas que se destinavam ao mesmo lugar que o garoto, tivessem arrumado no mínimo parte do que levariam para o acampamento. O oposto do caso dele. Já que em momento algum se preocupara em arrumar seus pertences, isto é, com exceção de agora. Onde buscava o mais rápido possível, conseguir não somente ajeitar tudo que deveria levar de acordo com a lista que lhe fora passada, como também alguns outros pertences mais particulares. Gastara praticamente a manhã inteira para fazer isso, mas finalmente estava próximo do final. Faltavam detalhes, itens pequenos e ao final a revisão de tudo que desejara levar consigo. Suspirou, ainda executando as tarefas finais antes de que o motorista que lhe fora contratado chegasse. Se não falha a memória, é a primeira vez em anos que o branquelo não se atrasa. Bem, como dito, ainda faltavam assuntos a serem definidos, mas não passavam de coisas superficiais que num instante estariam prontas. Podendo então, finalmente livrar-se da pressa. Fechou a mala e sua mochila, jogando as duas sobre as costas e as carregando até a sala, onde um dos funcionários — para ser mais exato, sua querida Amélia, a babá que cuidará dele quando mais novo e que graças a simpatia e amor dado, conquistou-o completamente; um dos motivos para esta morar com ele em seu apartamento, como "governanta" —o aguardava com mais pertences.

— O que eu seria sem você, não é mesmo? — Sorriu, pegando tudo que lhe era entregue e como ato final antecedente a sua saída, dando um abraçado apertando na mulher, beijando sua testa. Ainda mantinha a mesma expressão facial, passando pela porta, deixando com que a mesma fosse fechada por ela, puxando o celular do bolso pela primeira vez em horas. Deslizava o dedo pela tela, respondendo diversas pessoas enquanto ainda descia o edifício. Chegou logo, bloqueando a tema rapidamente e deixando suas coisas em um lado dos bancos do carro e entrando com o mesmo sorriso de quando ainda havia saído de seu lar.
———●———

O trânsito fizeram-no chegar um pouco além da hora que imaginaram que chegaram, mais ainda estavam dentro do tempo. Respondia a última mensagem quando o carro finalmente achou uma vaga livre para parar. Novamente, guardou. Desta vez em um dos pequenos bolsos de sua mochila, jogando a mesma sobre o ombro direito e puxando suas malas ao deslizar pelo banco, finalmente abrindo a porta. Saiu de dentro do automóvel, sentindo a pouca brisa que havia batendo contra seu rosto. Deixara a porta aberta, dando continuidade ao seu caminho. "Afinal, o motorista existia para que? Ele que fechasse a porta.". Pelo menos é assim que ele pensa.

Os passos pesados iam seguindo em direção aos demais, onde deixariam suas malas e em seguida entrariam no ônibus. Conhecia vagamente os presentes ali ainda, alguns eram da mesma universidade, outros porque simplesmente estava presente no mesmo meio de vida que ele. Sendo todos obrigados a encararem-se nas queridas doações para a caridade que um de seus pais sempre insistiam em fazer. Cumprimentou alguns com um simples olhar amigável, fazendo como os outros e aguardando para entrar no veículo. Assim que o fez, embarcou sem nem olhar para os que também haviam o feito. Passou direto, escolhendo um lugar para sentar e depositando sua mochila ao seu lado no banco. Apoiou a cabeça na beirada dele e com o olhar perdido e estranhamente solitário de sempre se perdia em seus pensamentos de como tudo seria.

Involuntariamente deixou escapar uma risada ao lembrar-se de todos que também iriam para o acampamento. Bem, realmente valeria a pena estar ali.

Obs.: Utilizei de uma postagem feita para o meu RPG fechado, onde criei exatamente o mesmo, então não vi problema em reutilizar.




HISTÓRIA DO PERSONAGEM

Filho de uma antiga dançarina de ballet, o garoto sempre viveu por trás dos palcos, observando e aprendendo cada passo, conhecendo não somente a graciosidade que arte propunha, mas também todo o sacrifício provindo dela. Em base disto que a família havia se dissolvido. Uma parte buscando as artes e a outra sendo divida pela busca incansável pela glória através da fortuna. O azar deste garoto era ter ficado diante da parte errada. Não que ele não gostasse de tudo que vivia naqueles momentos, mas sim por vezes ser obrigado a ver sua mãe dedicar-se tanto em busca de uma renda financeira que se tornasse satisfatória para a família, que chegava a vender parte daquilo que sempre suas preciosidades. Um ponto em que muitos em busca de poder e fama, acabam tendo que fazer. Era justo nesses momentos, que mais uma pessoa deveria estar ao lado deles, tentando sobreviver a tudo aqui. Faltava mais que uma pessoa, faltava uma presença paterna, um pai. Onde ele estaria? Uma verdade jamais fora contada. O nome, o porque não haviam fotos, tudo não passa de mentiras e mais mentiras.

SEPTEMBER OF THE 2003: THE DEATH AND DISCOVERY

Ano de dois mil e três. Uma das datas mais marcantes em sua vida, momento em que uma descoberta mudava sua vida de cima à baixo. Pois próxima a um repentino câncer mal tratado de sua mãe, em seu leito de morte, anunciara que o garoto era filho de um famoso homem do ramo na cinematografia. A infelicidade que tornava-se maior era não somente do falecimento da mãe, como também da descoberta de um pai que fazia de sua existência ainda secreta. Pelo que entendera, a escolha jamais fora dele, mas sim dela. Temer engravidar de um homem casado que apenas tivera um caso com um qualquer por puro interesse e prazer sexual? Talvez. Não sabia do que poderiam ser capazes. Era nestas tolas ideias que a mulher insistia em manter tudo em segredo. Como dito, "insistia", pois com a morte ao seu lado as verdades eram soltas ao vento, deixando para apenas um garoto de dez anos a visão de morte e um recomeço. O luto e o nova vida.

DECEMBER OF THE 2003: NEW REALITY

Deveria ser considerado um bastardo? Eis a definição dada corretamente ao tolo garoto, pois ser um filho fora do casamento lhe daria exatamente esse belo título. Bastardo. Uma palavra que não soa tão bem aos ouvidos de jovem, mas que ainda sim, tratavam da realidade. Ainda que ela não durasse muito, pois a paternidade não demora a ser reconhecida perante a justiça. Ainda sim, alguém a ser visto com maus olhares, era a prole de uma diversão noturna.

Aquele fora um ano de iniciações, um natal repleto de pessoas desconhecidas que insistiam que tudo ficaria bem. Poderia ser uma verdade. Pois surpreendentemente, mesmo com os olhos observando seus atos e por vezes criticando-o, fora recebido bem. Acolhido por uma mulher que mesmo traída, se tornara um nova mãe.

PRESENTE DAYS

Basicamente estes foram os ocorridos mais recentes relacionados a sua trajetória de vida e incrível ascensão a deslumbrante à alta sociedade nova-iorquina. Tudo havia se alterado com o tempo, a aceitação de sua nova família fora imediata, acolhido como se em momento algum ele tivesse deixado de fazer parte deles. Começava assim, a sumir a personalidade calma e educada do rapaz. Mimado e ouvido por todos os membros pouco à pouco, tinha o que queria e na hora que queria. O transtorno que fazia parte de sua personalidade, ia atenuando-se dando lugar ao novo Wes, um garoto oposto ao que se vira antes. Não se importava com as opiniões alheias, fazia o queria, sendo capaz de passar por cima de todos para ter seu desejo realizado. Iniciava aqui, uma nova visão, um novo mundo.


Com isso, se tornara ─ com toda certa pela influência, vulgo dinheiro do pai ─ alguém que crescia com velocidade na área musical. De certa forma não fora somente o dinheiro a impulsar sua carreira, mas também o talento vocal. A ascendência de uma estrela capaz de mostrar duas faces, uma exposta para a busca incessante de glória e a sua original, ofuscada por uma máscara. Com isso, mudara-se para a cidade onde os sonhos de qualquer um pode se tornar verdade, largando do conforto de ter as gravadoras nova-iorquinas aos seus pés e iniciando-se grandiosa cidade famosa por seu imenso letreiro indicando que ali realmente era o lugar onde poderia vir a brilhar, esta era Hollywood. Ainda que jovem, possuía apoio em exercer tais atos. Pelo menos até o que mais temia se manifestar. A doença conhecia como T.E.I., ou melhor, Transtorno Explosivo Intermitente. Era completamente incapaz de controlar e, graças a isto, houveram brigas e confusões por onde passara. A decisão correta foi tomada e o garoto foi internado pelo pai.




Allef. 17. MP.
TEMPLATED by [Você precisa estar registrado e conectado para ver este link.]
avatar
Wes Blaszczykowski
Ninfomaníacos
Ninfomaníacos

Mensagens : 3
Data de inscrição : 02/01/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Blaszczykowski, Wes.

Mensagem por Ivy M. Schaefer em Sex Jan 02, 2015 9:37 pm

FICHA ACEITA!
Olá, querido. Seja muito bem vindo ao instituto, qualquer dúvida entrar em contato com a administração. Ou postar no tópico de suporte. c:


[Você precisa estar registrado e conectado para ver esta imagem.]
SCHIZOPHRENIC AND SOCIOPATH ❥ 16 YEARS ❥ PRINCESS OF HELL  // MOZI DA JUBS ❥
avatar
Ivy M. Schaefer
Psicopatas
Psicopatas

Mensagens : 141
Data de inscrição : 13/02/2013
Idade : 19
Localização : Boston/MA

Ficha do personagem
Inventário:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum